Ao falar em Educação Financeira, logo vem à mente a capacidade de um indivíduo de controlar seu dinheiro, tanto no ciclo salarial, quanto a longo prazo.
                Você já foi surpreendido (a) alguma vez porque salário durou menos que o mês? Para que isso não aconteça, é preciso planejar, e tomar medidas para não ficar no vermelho. 
                Quem deseja organizar suas finanças, precisa ter um controle de entradas e saídas, e conhecer seus gastos fixos e variáveis. Dados sobre sua rotina de contas e compras são essenciais para se planejar. Através desses dados é que tomamos conhecimento sobre pontos fracos e fortes, rombos e oportunidades em seu orçamento.

                Sabemos que a correria do dia a dia, com contas a pagar e responsabilidades a cumprir, pode ser um pouco complicado saber por onde começar. Mas não importa se você ganha muito ou pouco: a sua postura em relação ao seu dinheiro é que vai te levar ou não a fazer o melhor uso possível e ter uma vida financeira saudável.

                Aqui vão algumas dicas que podem fazer a diferença se você colocar em prática:

  • Tenha Objetivos:

Saiba identificar qual a sua situação atual, e onde você quer chegar. Assim, você terá maior clareza para definir as ações e estratégias certas.

  • Renegocie suas dívidas:

Um dos passos mais importantes é o controle de dívidas, e a prioridade para quem está inadimplente é colocar as contas em dia. Busque renegociar e conseguir descontos e melhores condições de pagamento.

  • Use planilhas:

Nenhuma empresa, instituição ou organização funciona bem sem controle financeiro. Através das planilhas, que são excelentes ferramentas, é possível saber o que entra e sai. Além disso, existem outras possibilidades que ajudam a ter uma melhor visão geral, como gráficos e fórmulas.

  • Corte Gastos:

Muitas vezes, não nos damos conta que os pequenos gastos do dia a dia podem impactar o nosso saldo no fim do mês. Agora que você já sabe a importância de controlar o seu fluxo monetário, certamente irá identificar quais são esses gastos, e deverá eliminar tudo aquilo que for dispensável.

  • Procure uma renda extra:

Infelizmente, mais da metade dos brasileiros tem que se virar com menos de um salário mínimo por mês, o que acaba dificultando que essas pessoas saiam do vermelho. Em meio a essa realidade, os brasileiros têm buscado cada vez mais trabalhos de freelancer para garantir uma renda extra. Através da internet, é possível encontrar oportunidades para trabalhar com serviços de entrega, transporte individual, vendas por comissionamento, produção de textos, tradução e revisão, entre outros.

  • Crie uma reserva de emergência:

Muitas vezes, contamos com uma fonte de renda para o próximo mês, que pode vir a acabar inesperadamente, como no caso de uma demissão, por exemplo, ou como as lojas que precisaram ser fechadas durante a pandemia.  Para se proteger desse tipo de situação, é preciso manter uma reserva de emergência. Para isso, é necessário cortar gastos e juntar dinheiro de forma organizada, mês a mês.

  • Invista suas economias e faça seu dinheiro render:

É importante estudar as melhores formas de investir o dinheiro poupado, para que a inflação não corroa suas economias. Hoje em dia, é possível investir em títulos públicos do tesouro direto, com valores a partir de R$30,00 por exemplo.

Agora que você leu essas dicas, basta colocá-las em prática. Quem organiza seu orçamento está bem melhor preparado para emergências, e para o futuro. Você pode aprender ainda mais assistindo vídeos e lendo matérias em sites, revistas e jornais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *