Em 2020 a Educação Financeira tornou-se obrigatória na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para e ensino fundamental e médio no Brasil. Essa medida fará com que estudantes de todo o país aprendam sobre trabalho, finanças e consumo.

A decisão de implementar a educação financeira foi tomada pelo Ministério da Educação, com objetivo de preparar os estudantes atuais para uma vida adulta mais equilibrada no campo financeiro, assim como fazer com que se tornem mais conscientes e bem informados. Essa mudança beneficiará não somente as famílias dessas crianças e adolescentes, mas também a sociedade de modo geral.

 Segundo Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), “A obrigatoriedade do tema desde o ensino básico, como determinou a BNCC, com certeza trará grandes resultados. Pois é nesse período que se tem a melhor absorção dos conteúdos, mostrando aos jovens uma realidade básica: é preciso lidar com o dinheiro de forma inteligente”.

Para a execução do projeto, se faz necessária a formação de docentes e criação de material didático específico de Educação Financeira, além de tempo para que os professores possam planejar essas aulas.

Hoje sentimos o impacto que a falta de conhecimento em de Educação Financeira provoca na economia. Com a facilidade de crédito, muitos consumidores foram guiados por suas vontades e necessidades, sem entender o impacto que esse acúmulo de dívidas traria para suas vidas. Conhecer, planejar e administrar os recursos financeiros são ações ignoradas por muitos.

Levando-se em consideração que o número de brasileiros inadimplentes é crescente, a medida adotada pelo MEC traz esperança de que no futuro, nossa nação seja mais próspera. Em um país com mais de 60 milhões de pessoas endividadas, investir em educação financeira é indispensável.

Diferente do que algumas pessoas pensam, de forma didática é possível que crianças aprendam a lidar com finanças desde cedo. Essa novidade é uma grande conquista para o meio educacional no país, afinal, economia não está relacionada somente ao dinheiro de fato, mas a tudo no qual ele está envolvido. Seja economizando energia elétrica ao desligar uma lâmpada acesa sem necessidade, ou gastando de forma inteligente e controlada, o estudante estará aprendendo com a de Educação Financeira algo que de fato vai utilizar diariamente.

De modo geral, aprender sobre Educação Financeira, faz com que as pessoas sejam mais felizes, desde que coloquem o conhecimento adquirido em prática. Pessoas com muitas dívidas, tendem a viver frustradas com os conflitos entre excesso de despesas e falta de recursos. O aprendizado na escola, evitará que erros sejam cometidos nesse sentido. Vivendo em uma sociedade consumista, devemos nos rodear de toda informação e conhecimento para evitar que a situação fuja do controle.

Para quem já concluiu o ensino médio e não aprendeu sobre educação financeira, hoje é possível aprender com especialistas em blogs, vídeos na internet e redes sociais de forma eficiente e gratuita.

Sobre O Autor

Patrícia Carmo

Bacharel em Ciências Econômicas e Licenciada em Letras. Especialista em Gestão Estratégica em Finanças. Especialista em Tutoria EAD. Especialista em Direito Empresarial.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *