Devido a pandemia do Covid-19 e as medidas de isolamento social adotadas, como a suspensão das aulas por todo o país, os estudantes da rede pública ficaram sem acesso ao alimento oferecido pelas escolas. Cientes de que esta pode ser a principal refeição de algumas crianças, os governos estaduais e municipais criaram o auxílio merenda.

         No Rio de Janeiro o governo pretende distribuir para os alunos da rede pública estadual que se encontram em situação de extrema pobreza, que são atendidos pelo Cadastro Único, e beneficiados pelo Bolsa Família um benefício no valor de R$100,00. Também haverá distribuição de cestas básicas para algumas famílias. Para alunos da rede municipal, a prefeitura também vai pagar R$ 100 no auxílio merenda, destinado à compra de alimentos em supermercados.

Em Minas Gerais, a bolsa merenda no valor de R$50,00 começou a ser paga na última segunda (27). Os critérios para recebimento são os seguintes:

  • Os estudantes que serão beneficiados atendem ao critério de extrema pobreza, de famílias com renda mensal de até R$ 89 por pessoa.
  • O benefício é exclusivo para alunos da rede estadual de ensino inscritos no CadÚnico e pretende garantir a segurança alimentar de cerca de 380 mil crianças e adolescentes durante a pandemia do coronavirus, quando as aulas estão suspensas.
  • Participantes do programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) também poderão receber o benefício.

No Distrito Federal, os pagamentos começaram na última quarta (18).

O cartão poderá ser usado simultaneamente para material escolar e alimentos. Os estudantes que fazem uma refeição na escola terão direito a R$ 59,70 para os quinze dias de suspensão. Se fizerem duas refeições, o valor dobra. Os valores são referentes à refeição – ou seja, almoço e/ou janta. A família receberá por cada um dos filhos matriculados na rede pública os valores calculados a partir do número de refeições feitas por cada estudante matriculado. No total, serão investidos R$ 6,5 milhões no programa, que vai atender 69.848 famílias, responsáveis por 106.435 estudantes. Os recursos virão do orçamento da merenda escolar.   

       Em São Paulo, o Governador João Dória liberou o valor de R$55 no auxílio merenda para 732 mil alunos da rede pública. O benefício será pago a partir do aplicativo PicPay. Na capital, a prefeitura vai conceder R$ 101 por mês aos alunos da creche, estudantes do ensino infantil receberão R$ 63,00 e, do ensino fundamental terão direito a R$ 55,00. Para recebimento nesses casos, os pais deverão entrar em contato com as escolas para retirar o auxílio com hora marcada.

Sobre O Autor

Patrícia Carmo

Bacharel em Ciências Econômicas e Licenciada em Letras. Especialista em Gestão Estratégica em Finanças. Especialista em Tutoria EAD. Especialista em Direito Empresarial.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *