Durante a pandemia do Covid-19, a educação foi bastante prejudicada no Brasil. As instituições de ensino foram obrigadas a fechar as portas e adotar o sistema de aulas remotas. Porém, nem todos os professores e alunos puderam ter acesso a internet e aparelhos adequados para o estudo, o que atrasou o aprendizado em comparação ao ensino presencial. Visando isso, alguns estados fizeram mudanças no calendário de vacinação e incluíram professores como um dos grupos prioritários para a imunização contra o Covid-19. 

Os profissionais da educação – incluindo professores, diretores, merendeiras, faxineiras, cuidadores, etc – deverão ser vacinados a partir de abril em estados como São Paulo, Espírito Santo, Paraná e no Distrito Federal. Os estados que escolheram essa medida visam a reabertura das escolas o mais rápido possível.

Depois de anunciar 350 mil doses de vacinas destinadas aos profissionais escolares, o atual secretário estadual da Educação de São Paulo, Rossieli Soares, afirmou que “essas doses são para que nossas escolas não voltem a fechar, e para que nossos estudantes possam seguir o percurso de aprendizagem”. O estado já iniciou as inscrições para vacinação através de um site, e dará prioridade aos servidores e funcionários com idade a partir de 47 anos. Embora essa medida seja diferente da recomendada pelo Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação contra a Covid-19, cada estado tem autonomia para fazer modificações conforme a disponibilidade de doses e as necessidades locais.

E você, o que acha da decisão de colocarem os profissionais da saúde como prioridade na vacinação? Conte para a gente nos comentários!

Sobre O Autor

Brenda Lopes

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *